Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

Rating: 2.6/5 (2199 votos)

ONLINE
1





Total de visitas: 481264

Psicoterapia de casal: abordagen cognitivo-comport

Psicoterapia de casal: abordagen cognitivo-comport

   Psicoterapia de casal: abordagens copgnitivo-comportamental

 

                                                        

                                         

                              

              

Segundo Sadock e Sadock (2007), a terapia de casais ou conjugal é um tipo de psicoterapia que pretende facilitar a interação de duas pessoas que estão em conflito sobre uma variedade de parâmetros sociais, emocionais, sexuais e/ou econômicos
 A Terapia de Casal é uma terapia conjunta, centrada no relacionamento conjugal com objetivos de: melhorar a comunicação; enriquecer os comportamentos positivos; desenvolver habilidades de resolução de problemas; mudar padrões de comportamentos que levam à discórdia conjugal; aliviar problemas sexuais; reestruturar padrões de pensamentos disfuncionais e prejudiciais; buscar a diminuição progressiva dos conflitos destrutivos; avaliar as crenças quanto ao relacionamento a dois. Porém a meta a ser alcançada é a satisfação conjugal.
Os motivos mais freqüentes na busca de psicoterapia de casais tem sido: a traição de um ou de amos os cônjuges; desentendimentos freqüentes, dificuldade de comunicação (falta de diálogo), hostilidades e agressões físicas ou psicológicas, ciúme, desconfiança ou possessão, machismo. Promessas por cumprir, mentira, e infidelidade são as principais violações à confiança entre o casal e muitas vezes são a causa da ruptura relacional.
Quando a confiança, que é a base de um relacionamento amoroso, é quebrada os problemas acumulam e a motivação para manter a relação diminui. Na terapia de casal temos a oportunidade de rever a vida a dois, muitas vezes desgastada pelo acúmulo de pequenos desencontros do dia-a-dia. É um espaço apropriado para facilitar o diálogo e a conseqüente resolução de conflitos, repensando, modificando e fortalecendo a relação conjugal
 Os aspectos principais para um bom relacionamento conjugal é o respeito, a confiança, o comprometimento, a amizade, empatia, a química e a habilidade em resolver conflitos.
Saber ouvir o que o outro está dizendo e saber interpretar corretamente a mensagem recebida. Numa terapia de casal, isso é detectado e exercitado, de modo que os cônjuges possam transformar verdadeiramente sua relação em algo mais equilibrado e transparente. É o espaço apropriado para facilitar o diálogo e a conseqüente resolução de conflitos, repensando, modificando e fortalecendo a relação conjugal. Aceitar as diferenças, evitar provocar discussões, não depositar no outro a responsabilidade da própria felicidade e estar bem consigo mesma antes de culpar o outro são alguns dos truques para manter uma relação saudável.
A psicoterapia com casais pode ser realizada tanto para casados, namorados, noivos, que moram juntos ( hetero ou homoafetivos) que estão em um momento de crise afetiva ou sexual, que geram dúvidas sobre a continuidade desse relacionamento e desgaste.
Existem alguns casos em que a terapia de casal não é indicada, e na primeira entrevista o psicólogo poderá avaliar a necessidade de uma intervenção primeiramente individual, por ter a probabilidade de não ser ineficaz sessões conjuntas . A falta de envolvimento por um dos parceiros, ou outros problemas específicos podem ser tidos como pontos fundamentais para não se iniciar uma psicoterapia de casal.
Alguns fatores comprometem a eficácia do processo terapêutico e necessitam serem resolvidos antes, tais como: não querer abandonar um caso extraconjugal; um dos parceiros já se decidiu pela separação; perturbação de personalidade ou caráter que leva a relacionamentos instáveis; violência física; dependência de álcool ou drogas.
É possível que inicialmente a parte que teve a iniciativa em buscar ajuda seja atendida primeiro. Eventualmente é possível que uma das partes possa sentir necessidade em comparecer sozinha. A grande maioria inicia o processo em conjunto e depois, dependendo da avaliação, o psicólogo intercala sessões juntas e sessões separadas. Após adequação, as sessões seguem em conjunto (caso não haja intercorrências).
A utilização da terapia cognitivo-comportamental com casais começou a ser mais pesquisada e utilizada na América do Norte por volta de 1980, e, desde então, vem se desenvolvendo de forma gradual e constante. Atualmente o objetivo desta terapia é facilitar a interação dos cônjuges. Para tanto, o psicólogo estabelece um contrato terapêutico com o casal, a fim de estabelecer o enquadre, favorecer a participação ativa do casal, a psicoeducação e motivação para mudança. A partir dai o problema é avaliado conjuntamente com o objetivo de discriminar e evidenciar padrões pouco funcionais do casal.
Os principais instrumentos utilizados pelo profissional são os tipos de comunicação, como a entrevista motivacional, o diálogo socrático e a descoberta guiada (ANDRADE et al., 2009).
                                                         Profa. Dra. Edna Paciência Vietta
                                                              Psicóloga Ribeirão Preto