Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

Rating: 2.6/5 (1998 votos)

ONLINE
1





Total de visitas: 470820

Transtorno Bipolar: importância do diagnóstico

Transtorno Bipolar: importância do diagnóstico

                                  

                                  

 

 

                             Transtorno de Humor Bipolar: importância do diagnóstico diferencial

Transtorno de Humor Bipolar é uma doença psiquiátrica caracterizada por alternância de fases de depressão e de exaltação ou euforia. Quando eufórica, a pessoa apresenta modificações na forma de pensar, agir e sentir. Vive num ritmo acelerado, assumindo comportamentos extravagantes consumindo tudo o que vê pela frente. O Bipolar é uma doença recorrente, crônica e grave que causa impacto significativo na qualidade de vida dos pacientes, além de causar grande carga emocional para seus familiares, amigos e colegas de trabalho.

Em geral é normal a pessoa ficar alegre, até eufórica, com uma promoção no emprego, uma conquista amorosa, o nascimento de um filho e outras situações agradáveis. Também é esperado que a pessoa normal experimente tristeza e sofrimento depois de um rompimento amoroso, uma doença ou morte de pessoa querida, a perda do emprego, situações envolvendo dificuldades financeiras, etc. Isso não tem nada a ver com Transtorno Bipolar.

Na verdade, é comum ao ser humano apresentar alguma alteração de humor, nosso humor não é constante, variando de acordo com as situações que vivenciamos no dia-a-dia. Em alguns dias estamos mais tristes e em outros mais alegres. O que diferencia uma pessoa com Transtorno de Humor Bipolar daquela com flutuações normais do humor é a intensidade destas oscilações. Assim, devemos levar em conta que este distúrbio não consiste apenas de meras "altas e baixas oscilações de humor".

Mudanças de humor no Distúrbio Bipolar são mais extremas e mais duradouras que aquelas experimentadas pelas demais pessoas. É na diferença de freqüência, desproporção e inadequação entre as circunstâncias e o tipo de reações manifestas diante de fatos e situações ambientais que podemos apreender os sinais da presença do Transtorno. Por exemplo, a pessoa está alegre e eufórica, quando nada ao redor justifica tais sentimentos. Seus pensamentos ficam acelerados e desorganizam-se de tal modo que os assuntos surgem em tumulto e é difícil acompanhar sua linha de raciocínio, a pessoa torna-se inadequada, faz observações inoportunas, e causa desconforto no ambiente.

Para quem tem Distúrbio Bipolar, momentos de estabilidade podem ser raros, mas, também, podem variar muito em freqüência e intensidade.

Na oscilação de fases entre Depressão é Euforia pode haver momentos de estabilidade (Eutimia) onde o paciente pode se apresentar de forma natural. O paciente Bipolar pode, ainda, apresentar somente episódios de depressão ao longo da vida (daí o problema do diagnóstico) ou somente episódios de euforia (o que, às vezes, leva os familiares a achar que tais reações são próprias da personalidade do indivíduo).

Há estudos que inclui na transição entre as fases de Mania e a Hipomania, a fase de Hipertermia, uma forma de mania mais leve que as outras duas (ânimo um pouco acima do normal), também, inadvertidamente, confundida com extroversão ou algo próprio da pessoa.

Podemos identificar, ainda, dentro do quadro de humor bipolar, um espectro entre vários níveis ou graus de Manias (euforia) e Depressão.

Numa linguagem mais simples: existem estados de humor “intermediários”, e talvez, únicos para cada paciente, isto é, nem todo paciente Bipolar irá ter oscilações profundas e completas do humor (num extremo entre mania e depressão), podendo oscilar, entre severa Mania a Hipomania e entre moderada Depressão e severa Depressão.

Eventualmente o portador desse Transtorno pode apresentar um único episódio de bipolaridade durante toda vida

O diagnóstico diferencial pode ser particularmente difícil em situações de episódios depressivos em indivíduos hipertímicos e episódios mistos com predomínio de sintomas depressivos.

Quando não diagnosticado adequadamente o paciente Bipolar, corre risco de suicídio e maior número de hospitalização. Portanto, a diferenciação entre episódios depressivos unipolares e bipolares é importante, pois o tratamento da depressão bipolar inclui, necessariamente, o uso de estabilizador de humor, pelo risco de ciclagem para mania e de possível piora no curso e prognóstico da doença.

                                                              Profa. Dra. Edna Paciência Vietta

                                             Psicóloga Cognitivo-comportamental Ribeirão Preto